Dica do dia

INÉDITO: 3 dicas para prevenir a violência contra a mulher!

As feministas que me perdoem (não sei exatamente o pensamento delas sobre o assunto), mas não é necessário provar para todos que nós, mulheres somos vulneráveis a bastante coisas que os homens não são.

Mas o fato é que a violência contra a mulher existe desde que o mundo é mundo justamente devido a nossa vulnerabilidade.

Talvez este termo “violência contra a mulher” não soe tão trágico para você que está lendo este artigo. E em caso afirmativo, vamos clarear um pouco este conceito.

O conceito de violência contra a mulher

Violência contra a mulher é todo ato que resulte em dano físico, psicológico, sexual, patrimonial. Podendo ter motivação principal o gênero, ou seja, é praticado contra mulheres, declaradamente pelo fato destas serem mulheres. Vamos aos exemplos dessas ações individuais que podem ser praticadas no âmbito da vida privada:

Os exemplos citados acima são de ações individuais. No entanto a violência contra a mulher também pode ser praticada como ação coletiva.

Um exemplo disso é a política estatal de mutilação genital feminina praticada em alguns lugares até os dias de hoje.

Há também redes de organizações criminosas, como as de tráfico de mulheres e prostituição forçada.

Situação nos dias atuais

Fato é que a informação tem salvado muitas mulheres de seus agressores. Todavia com o avanço e crescimento da pandemia do corona vírus, que se iniciou no ano de 2020, houve alguns “retrocessos”.

Isso por conta da política de segurança “fique em casa”. Resumindo, muitas mulheres acabaram ficando em casa com seus agressores, o que houve grande aumento da quantidade de violência doméstica.

Isso sem mencionar violência contra as crianças também, como a pedofilia. E não pense que isso está acontecendo apenas no Brasil.

Na África o número de estupros aumentou, assim como o de desaparecimento de mulheres no Peru e feminicídios no México.

As Denúncias

Só em 2020, foram registradas mais 105 mil denúncias de acordo com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Isso através do ligue 180 e Disque 100.

As denúncias podem ser feitas de forma anônima.  E através desses canais que recebem as denúncias temos algumas informações sobre os suspeitos como idade e perfil.  No caso, o perfil mais comum é o de homens brancos com idade entre 35 e 39 anos.

A maioria das denúncias tem como vítimas mulheres que se declararam como de cor parda entre 35 a 39 anos. Sua idade escolar é o ensino médio completo e renda de até um salário mínimo.

Tem como prevenir?

A denúncia é imbatível nesta situação, mas antes dela…será que há como prevenir? Muitas de nós desejamos saber não é mesmo?

A prevenção é necessária e por mais estranho que possa parecer, é possível sim impedir que uma violência contra a mulher seja concretizada.  E isso através das dicas abaixo:

Cuide de sua saúde mental e emocional

Ao deixar de fazer isso, a mulher torna alvo fácil para ser dominada, violentada e aprisionada seja fisicamente ou psicologicamente

Tenha alguém de confiança para contar tudo

Não esconda sua vida de todos. Tenha alguém, uma amiga ou parente que se possa confiar e contar detalhes de sua vida caso aconteça algo semelhante a violência.

Fique atenta

Fique atenta para assimilar as ações de seu parceiro que te causam más reações. Já parou pra pensar que isso não é natural e normal?

Denuncie

E se acontecer não hesite em denunciar. E tenha alguém contigo. Sempre será mais fácil passar por essa situação acompanhada.

Você conhece alguém que precisa desta informação? Compartilhe agora este artigo!

Categorias:Dica do dia

Deixe uma resposta