De tudo um pouco

9 coisas que o bebê aprende todos os dias

Muitos pais e mães de primeira viagem podem pensar que os primeiros meses com o bebê envolvem apenas:

Mas eles esquecem de inúmeras interações, todos os dias, que ensinam ao bebê sobre amor, apego, segurança, confiança, empatia, linguagem e até matemática. 

Os bebês são como pequenas máquinas de aprendizagem, assimilando tudo ao seu redor como uma esponja.

E não pense que isso depende de atividades complementares ou de brinquedos específicos, pois diariamente você está proporcionando experiências inestimáveis, mesmo sem perceber. 

Confira todas as oportunidades que o bebê tem de aprender com os adultos e o que você pode fazer para tornar esses momentos ainda mais significativos.

Alimentando o bebê

Amamentar ou dar mamadeira é a principal forma de criar laços. Ao embalar o bebê e alimentá-lo, você está deixando-o saber que é amado e protegido. Sua presença o tranquiliza e o ajuda a se ajustar ao mundo desconhecido fora do útero. 

Na verdade, a conexão que você estabelece durante a alimentação é tão vital para o bem-estar do seu filho quanto os benefícios nutricionais do próprio alimento. Pesquisas mostram que um bebê que tem uma ligação íntima com os pais é mais receptivo à aprendizagem e processa melhor as informações.

EXPERIMENTE – Na hora da alimentação, sente-se em uma sala silenciosa e concentre-se em seu bebê. Segure-o perto (um recém-nascido só pode ver as coisas claramente a até 25 centímetros de distância), abrace-o e converse ou cante para ele. Peça a outros cuidadores que façam o mesmo para que seu bebê esteja sempre em um ambiente caloroso e amoroso.

Quando colocar o bebê para dormir experimente usar um Swaddle ou Cueiro deixando o bebê embrulhadinho e se sentindo seguro.

Falando com o bebê

O cérebro do bebê aprenderá mais quando você falar palavras reais, articulá-las claramente e pronunciá-las em um tom um tanto agudo e melódico.

Na verdade, um estudo do Instituto de Aprendizagem e Ciências do Cérebro da Universidade de Washington, em Seattle, descobriu que as crianças cujas famílias costumavam usar esse estilo de fala sabiam duas vezes mais palavras aos 2 anos do que aquelas cujos pais não o conheciam. É claro que, uma vez que seu filho comece a entender as palavras e a falar, ele não precisa mais que você fale com ele dessa maneira.

EXPERIMENTE – Mantenha suas palavras simples e fale frases completas com a maior freqüência possível para ajudá-lo a aprender sobre as palavras e a estrutura das frases. Repita as frases lenta e claramente, pois é preciso muita repetição para construir as primeiras memórias das palavras. Os bebês aprendem a entender e a falar observando e ouvindo os pais.

Aproxime-se e exagere os movimentos da boca enquanto alonga seus ‘ooos’ e ‘eees’. Ele pode ouvir os sons e ver como eles são formados.

Procure maneiras de inserir seu nome em histórias e canções. Depois que ele souber disso, será mais fácil chamar sua atenção. Além disso, faça uma pausa para dar ao seu bebê a chance de responder, seja arrulhando, sorrindo ou chutando os pés. Então responda a ele.

Fazendo a Higiene do bebê

Colocar uma fralda limpa em seu bebê pode dar a ele uma sensação de ordem, segurança e rotina. O mesmo vale para o banho e escovar suas gengivas. 

Essas são oportunidades de dar a ele pistas precoces para ter orgulho de seu próprio corpinho. Cada tarefa que envolve toque e união também melhora o desenvolvimento emocional da criança.

EXPERIMENTE – Ao trocar ou limpar seu bebê, reserve um tempo para narrar o que você está fazendo. Cantar para eles no trocador pode tornar a tarefa mais interativa e divertida.

Compartilhando Refeições em Família

Quando você inclui seu bebê nas refeições, isso reforça que ele faz parte da família.

Quando ele começa a comer alimentos sólidos, deixá-lo explorar com as mãos em vez de apenas alimentá-lo com a colher o ensina que a comida não precisa ser controlada por um adulto e que você confia nele para ouvir seus sinais de fome. 

Você também o ajudará a descobrir por meio de múltiplos sentidos (tato, olfato, paladar e som), o que torna o ato de comer mais agradável e pode ajudar a compensar hábitos alimentares exigentes.

EXPERIMENTE – Mesmo que seu filho não esteja pronto para um cadeirão de alimentação, você pode segurá-lo no colo durante as refeições em família. 

Resista ao impulso de ajudar quando ele estiver comendo (mesmo que faça uma grande bagunça). Descobrir como colocar alimentos de várias formas e texturas em sua boca melhorará suas habilidades motoras finas. 

Quando ele estiver pronto para o cadeirão, puxe-o até a mesa. Evite forçá-lo a dar “apenas mais uma mordida”, fazer isso poderia inadvertidamente ensiná-lo a comer para agradar os outros. Em vez disso, dê a ele uma seleção de opções saudáveis ​​e deixe-o decidir o que quer e quando terminar. 

Certifique-se de falar com a criança à mesa. Você pode nomear diferentes alimentos e descrever seu sabor, ou conversar sobre o que quiser. O objetivo é deixá-lo saber que a hora das refeições é uma experiência social.

Caminhando com o bebê

A maneira como você se comporta nessas saídas influencia como o bebê se sente em relação ao ar livre e à atividade física. 

Se você bufar ou parecer irritado com a caminhada, seu bebê aprenderá que não é uma coisa agradável de se fazer. Mas se você mostrar que está revigorado com o ar fresco, ele internalizará que estar na natureza e fazer exercícios é divertido.

EXPERIMENTE – Quando estiver fora de casa passeando no colo ou no carrinho de bebê, tente nomear as coisas que vê, como folhas e pedras, e deixe seu bebê tocá-las. Se você não tem tempo para parar e observar, converse com ele sobre o quanto você gosta das cores e dos cheiros das flores. Isso o ajudará a apreciar essas coisas também.

Abraçando Seu Parceiro

Mostrar afeto na frente do bebê permite que ele saiba que os membros da família se tratam com carinho e bondade. Quanto mais ele vir os pais se abraçando, acariciando um irmão ou acariciando o cachorro, mais provável é que esses comportamentos se tornem parte de seu repertório.

EXPERIMENTE – Não tenha vergonha de deixar seu filho ver você beijar ou tocar seu parceiro. Diga “eu te amo” regularmente e evite brigar na frente dele, para que ele aprenda que sua casa é um lugar seguro e atencioso. Você está ensinando valores ao seu filho pela forma como você age na frente dele.

Tocando melodias

Pesquisas mostram que a música pode melhorar o humor de seu filho e aumentar sua concentração. Também pode ajudar a promover a compreensão matemática: elementos como melodia e batida oferecem oportunidades para internalizar padrões, sequências e contagens.

EXPERIMENTE – Dance uma música enquanto embala seu bebê ou toque-o de volta no ritmo para reforçar o ritmo. Use alguns instrumentos infantis, como xilofone, maracas e um tambor, e toque-os juntos enquanto ele trabalha em suas habilidades motoras.

Dizendo tchau

Assistir você ir embora pode ser difícil para o seu bebê, especialmente quando a ansiedade da separação começa por volta dos 6 a 8 meses ou atinge o pico novamente em 15 a 18 meses.

EXPERIMENTE – Quando você precisar sair ou deixá-lo na casa da vovó, não fuja, ou seu filho pode se sentir abandonado. Em vez disso, diga: “Adeus. Estarei em casa logo”. 

Mantenha seu tchau breve. Quando você voltar, dê-lhe um abraço e diga: “Eu disse que voltaria. Senti sua falta. Sempre voltarei por você.”

Comece esta rotina cedo, mesmo que seu bebê ainda não entenda exatamente suas palavras. Ele ainda vai se acostumar com a rotina e, embora isso não vá eliminar sua ansiedade imediatamente, com o tempo ele vai perceber que o tchau não significa para sempre.

Considerações Finais

Nem sempre é fácil e nem sempre acertamos em nossos comportamentos na frente de nossos filhos, pois somos seres humanos passíveis de erros e também de acertos. Mas ter a consciência que somos espelho e exemplo para os filhos em todas as etapas de suas vidas já é um grande passo.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar essas informações em suas redes sociais.

Categorias:De tudo um pouco

Deixe uma resposta