Economia

Está desempregado? Confira dicas para não acumular contas

Sem dúvida, o desemprego pode levar à uma falta de controle financeiro, e o resultado disso são contas acumuladas.

Claro, sem contar com um salário, como se organizar e conseguir manter as despesas em dia?  

Bem, a primeira coisa a fazer é respirar e se acalmar… o desespero só leva a atitudes e gastos impensados que podem trazer sérias consequências.

Saiba que é possível, sim, não acumular contas quando desempregado, porém, primeiramente, é preciso saber os recursos que estarão disponíveis após se desligar da empresa.

Anúncios

Geralmente, os funcionários com carteira assinada têm direito ao seguro-desemprego, o 13º salário proporcional, pagamento de férias, além do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), incluindo a multa, o que, dependendo do tempo de serviço, dá até para dar um respiro e se preparar.

Mas tenha em mente que o tempo é de crise, muita gente passa mais de um ano sem conseguir voltar para o mercado de trabalho, portanto, nada de gastos supérfluos, pois essa quantia pode ser a única fonte de renda durante algum tempo.

Sendo assim, só gaste com o essencial, para não deixar de pagar as contas ao final do mês. Confira abaixo as principais dicas para não acumular contas.

Planilha

A primeira coisa a fazer é montar uma planilha, coloque a sua renda total e todos os seus gastos fixos e aquelas despesas emergenciais do dia a dia.

Sem dúvida, ter o controle das finanças é a única forma de evitar o endividamento causado pelo desemprego.

Pague as contas com juros maiores

Após anotar todas as suas contas e o orçamento mensal, procure pagar sempre primeiro aquelas contas com juros mais altos, justamente, para correr menos risco de aumentar as despesas colocadas no papel.

Lembre-se sempre que, se não pagar, terá que arcar com juros maiores no próximo mês, e a situação acabar virando uma bola de neve.

Fuja do cartão de crédito

Se está desempregado, com certeza, não tem mais renda, portanto, não vale à pena acumular mais uma dívida com cartão de crédito. Por isso, evite usá-lo pois, caso não consiga pagar, os juros são muito altos o que pode fazer com que você acabe se enrolando mais ainda com as despesas.

É preciso focar em não fazer e deixar acumular contas, portanto, prefira pagar no débito ou em dinheiro.

Após pagar suas contas prioritárias, como luz, água, gás de cozinha, telefone e aluguel, verifique quanto tem disponível para gastar à vista, e prefira sempre do que usar o cartão de crédito.

Hora de cortar os supérfluos

Tenha em mente qual a prioridade, que deve ser manter as contas da casa em dia, e identifique as despesas supérfluas. Nessa lista podem ser incluídos, por exemplo, gastos com restaurantes, idas ao shopping, compras sem necessidade, gastos com gasolina, combos de assinaturas (vale optar por pacotes mais modestos), viagens e ets.

Troque a pizza comprada pronta por fazer a pizza em casa, e assim, outras refeições, substituindo gastos com restaurantes.

Acredite, você vai economizar muito preparando suas próprias refeições, e para economizar gás de cozinha, vale apelar para receitas rápidas ou em uma panela só e, na pressão, de preferência.

E procure não desperdiçar alimentos, se sobrou arroz, faça bolinhos de arroz, se sobrou carne moída, faça panquecas recheadas, a dica é usar a criatividade com o que sobrar. Na internet existem muitos sites com exemplos do que pode ser reaproveitado.

Outra dica é optar por se exercitar ao ar livre, para cortar gastos com academia.

Economize

E, claro, a recomendação que não poderia faltar é, para não acumular contas quando desempregado, procurar economizar o máximo possível.

Diminua suas compras no supermercado e faça muitas substituições por itens em promoção, e deixe para fazer em casa alguns itens industrializados, como biscoitos, bolos. E, claro, é necessário economizar luz, água e gás.

O mais importante é não adquirir novas dívidas durante a fase  do seu desemprego, sabendo sempre controlar as finanças.

Outra dica importante é não cair nas tentações de pegar empréstimo, pois não esqueça que a primeira parcela pode chegar antes de você conseguir outro emprego.

Por fim, enquanto procura novas alternativas no mercado de trabalho e envia seus currículos, se comporte de forma moderada, sendo muito controlado financeiramente, sem dúvida, é o segredo para não acumular dívidas.

Anúncios

Categorias:Economia

Deixe uma resposta