Reeducação alimentar: conheça a dieta anti-inflamatória

Publicidade - OTZAds

A dieta promove o consumo de produtos naturais, que garantem um melhor funcionamento do corpo e trazem benefícios, como prevenção de doenças e problemas de saúde

Diversos alimentos que comemos no dia a dia possuem propriedades inflamatórias. Em busca de promover uma alimentação mais saudável, nutricionistas buscam incentivar a dieta anti-inflamatória, com o foco na ingestão de alimentos ricos em nutrientes e propriedades que combatem a inflamação. Esse modelo de alimentação vem ganhando adeptos por conta de seus benefícios, que incluem a prevenção de doenças, melhora do bem-estar, do sono e até mesmo perda de peso.

<
Publicidade - OTZAds

A dieta anti-inflamatória não é considerada um regime, mas, sim, um estilo de alimentação saudável que elimina alimentos que podem ser prejudiciais para a saúde. Com uma dieta equilibrada e balanceada, com alimentos ricos em nutrientes e propriedades benéficas para o corpo, é possível evitar o aparecimento de quadros inflamatórios no organismo e prevenir uma série de doenças e problemas de saúde, como obesidade, diabetes, hipertensão, ansiedade, câncer e muitos outros.

Antes mesmo de entender como funciona esse modelo e quais são os alimentos mais recomendados para iniciar nessa prática, é importante conhecer quais são os alimentos que devem ser restringidos. Dessa forma, a reeducação alimentar será mais produtiva, tirando os itens que possuem propriedades prejudiciais à saúde do nosso dia a dia aos poucos.

Devem ser eliminadas as bebidas ricas em açúcar (como refrigerantes e sucos adoçados), doces e sobremesas (como sorvetes, bolos, tortas, bolachas recheadas), os carboidratos refinados (como pão, arroz branco, pizza, macarrão comum), carnes processadas (como presunto, salsicha, mortadela, peito de peru) e as bebidas alcoólicas.

Ao cortar os alimentos nocivos à saúde, busca-se uma alimentação alternativa, com base em produtos ricos em nutrientes e com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Para obter maiores benefícios, é preciso equilibrar a dieta com proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas, sais minerais e fibras de fontes saudáveis.

Essa dieta tem como inspiração o estilo mediterrâneo, que prioriza produtos naturais, em sua maioria de origem vegetal. O foco e a base dessa alimentação são as gorduras saudáveis, provenientes de abacate, peixes, azeite, amêndoas; os alimentos ricos em nutrientes, como frutas, verduras e legumes; os carboidratos com carga glicêmica baixa (grãos integrais); e as ervas frescas e especiarias.

Com a implementação dessa dieta, os resultados podem ser percebidos em diversas áreas. Passa-se a dormir melhor, aumentando a disposição ao acordar, e durante o dia, a pessoa fica menos fatigada após a prática de atividade física e tem uma recuperação mais rápida, previne o aparecimento de problemas de saúde como hipertensão, equilibra os níveis de colesterol do corpo, dificulta a probabilidade de doenças autoimunes como diabetes, artrite reumatoide e outras complicações como demência e Alzheimer.

Como pode ser observado, os benefícios dessa alimentação não melhoram apenas o bem-estar momentâneo, mas garantem uma maior saúde ao corpo, contribuindo para uma maior longevidade e qualidade de vida ao longo dos anos, prevenindo até mesmo o envelhecimento.

Publicidade - OTZAds

Antes de realizar qualquer mudança drástica na alimentação, é importante consultar um profissional formado em nutrição EAD ou presencial para realizar um planejamento. Assim, o nutricionista irá auxiliar na implementação da nova dieta e garantir que o corpo receberá todos os nutrientes que precisa para funcionar bem. Confira, abaixo, 5 itens fundamentais que não devem faltar na nova alimentação.

Frutas vermelhas

Morangos, amoras, mirtilos e outras frutas vermelhas concedem uma série de benefícios para o corpo quando passamos a consumi-los. Elas são ricas em vários nutrientes, entre eles as fibras e os polifenóis e antioxidantes. Com isso, elas são aliadas importantes para reduzir quadros inflamatórios, quando eles existem, e também evitar o surgimento de novos problemas.

Abacate

Essa fruta é uma das mais completas que podem ser inseridas à dieta. Seu principal benefício é que ela é rica em gorduras monoinsaturadas, que não são maléficas para a saúde. Elas auxiliam no equilíbrio do colesterol e eliminam problemas nas articulações. Além disso, a fruta também é rica em vitaminas K, E e C, assim como em fibras, zinco, potássio e manganês.

Ômega 3

O ômega 3 pode ser encontrado em abundância em peixes como salmão, atum e sardinha. Ele é um ácido graxo, considerado uma “gordura boa”. Suas propriedades permitem que ele auxilie na regulação dos níveis de gordura no corpo, além de obter também propriedades anti-inflamatórias. A sua ingestão está associada à prevenção de uma série de doenças, como Alzheimer, diabetes, doenças intestinais, lúpus e até transtornos de saúde mentais, como bipolaridade e esquizofrenia. Essa substância também pode ser encontrada nas sementes de chia e linhaça.

Cúrcuma

A cúrcuma é uma especiaria rica em uma substância chamada curcumina. Alguns estudos apontam que essa substância tem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes, e pode auxiliar na regulação de glicose no sangue. Além disso, pode ajudar na recuperação dos músculos após atividades físicas e melhorar a energia para a prática.

Grãos integrais

Estes grãos possuem muito mais fibras que os grãos refinados e possuem um índice glicêmico mais baixo, impedindo a formação de quadros inflamatórios, decorrentes da alta taxa de glicose no sangue, e ajudando no controle da diabetes. Além disso, esses produtos são ricos em proteínas, potássio, magnésio, e suas fibras auxiliam no controle do peso.

Publicidade - OTZAds

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: